Casa da Mulher completa nove meses de funcionamento em Teófilo Otoni

As casas de atendimento e de acolhimento à mulher vítima de violência doméstica completaram nove meses de funcionamento neste mês. As unidades integram a política inovadora do governo municipal voltada para as mulheres em situação de risco. Desde a inauguração, em 10/03, a Casa da Mulher Maria Nunes Guimarães realizou cerca de 100 atendimentos, mas esses números ultrapassam 200 pessoas, visto que segundo a coordenadora Cristiana de Matos o serviço inclui os familiares também.

A Casa de Acolhimento, por sua vez, serviu de lar para cinco famílias que passaram pelo risco de voltar para seus lares em decorrência da violência que viveram. Os dois centros que se tornaram referência no enfrentamento à agressão contra o gênero feminino contam com equipe multiprofissional composta por advogada, assistente social, psicóloga, educadoras sociais e vigilantes. As atendidas encontram nesses locais assistência social, psicológica, jurídica e acolhimento gratuitos para casos de violência física, psicológica e sexual. Os serviços ofertados são acrescidos ainda de rodas de conversa, tendo em vista que fortalecer a autoestima das atendidas a fim de que elas tomem decisões relativas à violência vivida é um dos objetivos da Casa.

A coordenadora relata que ao longo dos nove meses de funcionamento da política, temas diversos relacionados ao universo feminino foram trabalhados junto às usuárias nas rodas de conversa. “Procuramos atuar em rede e fizemos parceria com outros órgãos e movimentos envolvidos na causa disponibilizando a discussão e esclarecimento da Lei Maria da Penha, do empoderamento feminino, do papel da Defensoria Pública no enfrentamento à violência contra a mulher e tratamos até de saúde por ocasião do Outubro Rosa. Buscamos ainda divulgar o serviço que ofertamos participando de ações pontuais promovidas pela Secretaria de Assistência Social e percorrendo escolas trabalhando o tema da violência contra a mulher”, enumerou Cristiana.

Ela disse que o serviço prestado tem repercutido para além do âmbito local. “Tanto o atendimento como o acolhimento disponibilizados pela política da Casa da Mulher têm sido um divisor de águas no enfrentamento à violência doméstica e familiar, pois gestores têm nos procurado para saber como organizar serviços como este nos seus municípios. Já tivemos até usuárias vindas de cidades da região atendidas aqui ”, contou a coordenadora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *